More

    Função fática da linguagem

     

    A função fática da linguagem representa as situações em que o canal (interlocutor) é o principal objetivo da comunicação.

    Na função fática, a mensagem recebe um papel secundário e o canal passa a ser o objetivo da comunicação

    Na função fática, a mensagem recebe um papel secundário e o canal passa a ser o objetivo da comunicação

    Entre todas as funções da língua portuguesa (referencial, emotiva, conativa, metalinguística e fática), a função fática é a mais utilizada em nossas relações cotidianas. Exercitamos essa função até mesmo nas situações mais corriqueiras, quando não estamos muito preocupados em analisar a mensagem que será emitida. Quando cumprimentamos nossos colegas utilizando um convencional “Bom dia”, estamos fazendo uso da função fática da linguagem. Ela é utilizada até mesmo quando nos comunicamos com estranhos, especialmente em situações em que o silêncio parece incomodar, então travamos um diálogo trivial, despreocupado, estabelecendo uma conversa sem um objeto/assunto definido.

    A função fática tem como objetivo estabelecer um vínculo entre o emissor e o receptor da mensagem a fim de prolongar ou interromper a comunicação. É chamada de fática por estar vinculada a um fato, ou seja, aquilo que está ocorrendo em um determinado momento. Você sabia que a função fática é a primeira função de linguagem que adquirimos? Quando pequenos e ainda incapazes de enviar e receber comunicação informativa, comunicamo-nos através de pequenas construções linguísticas, mas nem por isso destituídas de significação, para chamar a atenção do adulto. A mãe também faz uso da função fática como um recurso para chamar a atenção do bebê para si e para suas emissões. Outra curiosidade: as aves falantes, o papagaio, por exemplo, partilham desse tipo de comunicação com os seres humanos. Já reparou o esforço que elas fazem para iniciar e manter a comunicação com o homem?

    Utilizamos a função fática desde bebês, quando ainda “engatinhamos” no processo de aquisição da linguagem verbal
    Utilizamos a função fática desde bebês, quando ainda “engatinhamos” no processo de aquisição da linguagem verbal

    Observe abaixo a tirinha da personagem Mafalda, do cartunista Quino:

    A função fática é assim denominada por estar vinculada a um fato, ou seja, aquilo que está ocorrendo em uma determinada situação. Mafalda, de Quino.
    A função fática é assim denominada por estar vinculada a um fato, ou seja, aquilo que está ocorrendo em uma determinada situação. Mafalda, de Quino.

    É possível perceber a utilização da função fática quando Mafalda diz “Boa noite, mundo”, saudando e também se despedindo em “boa noite e até amanhã”. Sabe aquelas famosas “conversas de elevador”? Então, são ótimos exemplos de quando a comunicação deixa de ser o principal objeto entre dois interlocutores e passa a ser algo secundário, focando no canal sem demonstrar carga semântica aparente.

    A música “Sinal fechado”, de Paulinho da Viola, é um bom exemplo. Ela narra a história de dois velhos conhecidos que casualmente se encontram parados, dentro de seus carros, em um mesmo semáforo:

    Olá, como vai ?
    Eu vou indo e você, tudo bem ?
    Tudo bem eu vou indo correndo
    Pegar meu lugar no futuro, e você ?
    Tudo bem, eu vou indo em busca
    De um sono tranquilo, quem sabe …
    Quanto tempo… pois é…
    Quanto tempo…

    Observamos no fragmento em questão a ocorrência da linguagem fática, que pode estar frequentemente associada também à necessidade de emitir uma mensagem que seja breve, denotando interlocutores que não possuem tempo para travar um diálogo mais cuidadoso, situação observada na música. Você não sabia, mas sempre usou a linguagem fática durante vários momentos de seu dia. Quer verificar se seu canal de comunicação está funcionando? Eis a função fática da linguagem!

    Latest articles

    Diego Maradona

    Função

    Custos – Contabilidade

    Trabalhos Relacionados