More

    Sujeito e Predicado

    INTRODUÇÃO  o sujeito é um dos termos essenciais da oração, geralmente responsável por realizar ou sofrer uma ação ou estado. Ele é o termo com qual o verboconcorda.
    Segundo uma tradição iniciada por Aristóteles, toda oração pode ser dividida em dois constituintes principais: o sujeito e o predicado. Em português, o sujeito rege a .terminação verbal em número e pessoa e é marcado pelo caso reto quando são usados os pronomes pessoais. As regras de regência do sujeito sobre o verbo são denominadas concordância verbal. Na frase,Nós vamos ao teatro. vamos é uma forma do verbo “ir” da primeira pessoa do plural que concorda com o sujeito nós.
    Na gramática o predicado é um dos termos essenciais da oração; é tudo aquilo que se diz ou o que se declara sobre o Sujeito. É tudo aquilo que se informa sobre o sujeito e é estruturado em torno de um verbo. Ele sempre concorda em número e pessoa com o sujeito. Quando é um caso de oração sem sujeito, o verbo do predicado fica na forma impessoal, 3ª pessoa do singular. O núcleo do predicado pode ser um verbo significativo, um nome ou ambos. Predicado é aquilo que se declara a respeito do sujeito. Nele é obrigatória a presença de um verbo ou locução verbal. Quando se identifica o sujeito de uma oração, identifica-se também o predicado. Em termos, tudo o que difere do sujeito (e do vocativo, quando ocorrer) numa oração é o seu predicado. DESENVOLVIMENTO Sujeito e predicado são ostermos essenciais da oração. O sujeito é o ser de quem se fala algo e predicado é tudo que se declara sobre o sujeito. O Sujeito é o termo da oração que funciona como suporte de uma afirmação feita através do predicado.

    Predicado: é o termo da oração que, através de um verbo, projeta alguma afirmação sobre o sujeito.
    Exemplo:
    A pequena criança
    me contou a novidade com alegria no olhar.
    Sujeito
    Predicado
    Para ajudar a localizar o sujeito há três critérios:
    • Concordância: o verbo está sempre na mesma pessoa e número que o seu sujeito;
    • Posição: normalmente, o sujeito precede o verbo e, mesmo que venha depois, pode ser transposto naturalmente para antes;
    • Permutação: quando o núcleo do sujeito é um substantivo, pode ser permutado pelos pronomes ele, ela, eles, elas.
    Sujeito: É o termo da oração do qual informamos alguma coisa.
    Ex: A Maria foi comprar livros. A sentença informa que alguém foi comprar livros. Podemos dizer também que sujeito é todo termo da frase que pratica uma ação. Na frase acima o sujeito é : “A Maria”.
    Nucleo do sujeito: É a palavra mais importante do sujeito. Em “A Maria foi comprar livros.” O sujeito é : “A Maria” e o núcleo do sujeito é: “Maria”, pois entre o artigo a e o substantivo Maria a palavra mais importanteé Maria.
    Tipos de sujeito: simples, composto, desinencial, indeterminado e oração sem sujeito.
    1- Simples: possui apenas 1 núcleo. Ex. “Nós vamos ao cinema.”, “O Pedro dorme cedo.”
    2- Composto: possui 2 ou mais núcleos. Ex:”Maria e Pedro regressaram da festa.”,”O professor e os alunos participaram da competição.”
    3- Desinencial: não está explícito na frase, mas é facilmente identificado pela terminação do verbo. Ex. “Falei com ele ontem.” Suj. des. “eu”. O sujeito desinencial também é conhecido como oculto.
    4- Indeterminado:não podermos identificá-lo.
    Sujeito é o termo da oração do qual se afirma ou se nega algo. Exemplos: João andava de bicicleta. Machado de Assis escreveu “Dom Casmurro” O núcleo do sujeito è a palavra principal, que encerra a essência de sua significação. Exemplo: Os cravos brancos embelezam os campos. (a palavra cravos é o núcleo do sujeito)
    Predicado
    Quando identificamos e retiramos o sujeito, todas as palavras que restarem da oração é o que chamamos de predicado. O predicado também possui um núcleo que pode ser um verbo (predicado verbal), nome (predicado nominal) ou um verbo e um nome (predicado verbo-nominal). Vamos estudar como funciona cada um deles!
    Predicado verbal
    Predicado verbal é aquele em que seu núcleo é constituído por um verbo; ou seja, o verbo é a parte principal do predicado. Esse verbo pode ser classificado em: verbo transitivo direto, verbotransitivo indireto, verbo transitivo direto e indireto e verbo intransitivo.
    Verbo transitivo direto
    Verbo transitivo direito é o verbo que exige um complemento.  Para reconhecer um verbo transitivo direto fazemos a pergunta ao verbo e temos a resposta “o que” sem uso de preposição.  Exemplo: Mariana comprou várias figurinhas. Nesse caso, o verbo comprar é verbo transitivo direto e o seu complemento, chamamos de objeto direto.
    Verbo transitivo indireto
    Verbo transitivo indireto é o verbo que exige complemento. Para reconhecer um verbo transitivo indireto, fazemos a pergunta ao verbo e temos a resposta “de que”. Exemplo: Mariana gosta de estudar. Nesse caso, o verbo gostar é verbo transitivo indireto, pois quem gosta, gosta “de quem” ou “de alguma coisa”. O complemento do verbo transitivo indireto, chamamos de objeto indireto.
    Verbo transitivo direto e indireto
    O verbo transitivo direto e indireto pede complemento com e sem preposição.O verbo atua de forma direta e indireta. Para reconhecer um verbo transitivo direto e indireto fazemos a pergunta ao verbo com e sem preposição. Exemplo: Prefiro comprar peixe à carne. O complemento do verbo transitivo direto e indireto é o objeto direto e indireto.

    Predicado nominal
    Predicado nominal é aquele em que seu núcleo é constituído por um nome; ou seja, o nome é a parte principal do predicado. Esse nome é o predicativo do sujeito. O verbo utilizado no predicado nominal é o verbo de ligação. O verbo de ligação junta osujeito ao predicativo. Exemplo: As meninas estavam muito alegres.  Nesse caso, o núcleo do predicado é “muito alegres”, que chamamos de predicativo do sujeito, ou seja, é o estado das meninas.
    Predicado verbo-nominal
    O predicado é verbo-nominal quando possui dois núcleos, sendo um verbo e outro o nome (predicativo do sujeito ou do objeto).
    Classificação do sujeito
    1. Sujeito simples: possui apenas um núcleo.
    As nossas anotações foram perdidas.
    2. Sujeito composto: possui dois ou mais núcleos.
    Mariana e Pedro são namorados.
    3. Sujeito oculto: aparece implícito na frase, porém é possível determiná-lo. É conhecido também como sujeito desinencial ou elíptico.
    Peguei os papeis ontem. (Eu = sujeito oculto)
    Estávamos com medo. (Nós = sujeito oculto)
    4. Sujeito indeterminado: este tipo não aparece explícito na oração e é impossível determiná-lo, por mais que exista um agente da ação.
    Dizem que haverá greve. (Alguém disse, mas não se sabe quem.)
    Precisa-se de monitores. (Não se sabe quem precisa)
    5. Sujeito inexistente: destina-se a verbos que designem um fenômeno da natureza ou verbos que não denotem ação.
    Choveu muito em São Paulo.
    Faz anos que não visito minha mãe!
    Classificação do predicado
    1. Predicado verbal: constituído de verbo, o qual é o núcleo do predicado.
    Vovó fez um biscoito.
    Vovó = sujeito
    Fez um biscoito = predicado
    Fez = núcleo do predicado
    2. Predicado nominal:o núcleo deste predicado é um nome que desempenha a função de predicativodo sujeito.
    As garotas são bonitas.
    As garotas = sujeito
    São = verbo de ligação
    Bonitas = predicativo do sujeito.
    3. Predicado verbo-nominal: possui dois núcleos do predicado – um é verbo, o outro é nome. Neste predicado há predicativo do sujeito ou do objeto que indica ação e qualidade.
    Nós escolhemos nossa mãe professora.
    Nós = sujeito
    Escolhemos nossa mãe professora = predicado
    Escolhemos = verbo
    Professora = predicativo do objeto
    Mário viajou feliz.
    Mário = sujeito
    Viajou = verbo
    Feliz = predicativo do sujeito

    CONCLUSÃO
    Sujeito e predicado é “separar a frase” entre estes dois termos, identificando o verbo e assim a ação. Quando o verbo é identificado, descobrimos logo o sujeito.
    Existem orações sem sujeito. Quando isso acontece ou eles estão ocultos (mas podem ser descobertos conforme a pessoa verbal) e existem os ‘inexistentes’ (quando realmente não tem como identificar) e nesse caso os verbos não indicam ação e sim fenômeno natural (chover, nevar, etc)
    Nas orações SEMPRE existirá um verbo. Caso “não tenha” é considerada uma frase.
    É importante identificarmos o sujeito e o predicado para entender o que ele/ela fez, ou entender o que aconteceu (a ação = predicado) com mais facilidade.
    BIBLIOGRAFIA 01. http://pt.wikipedia.org/wiki/Sujeito 02. http://www.soportugues.com.br 03. http://www.mundovestibular.com 04. http://www.colegioweb.com.br/

    Loader Loading...
    EAD Logo Taking too long?

    Reload Reload document
    | Open Open in new tab

    BAIXE O TRABALHO AQUI [16.19 KB]

    Latest articles

    Diego Maradona

    Função

    Custos – Contabilidade

    Trabalhos Relacionados