- Anúncio -

A circulação humana envolve um sistema fechado, cujo órgão central é o coração, juntamente com o sangue (vasos sanguíneos), veias, artérias e arteríolas. Através do sistema circulatório há o transporte de oxigênio, hormônios e de nutrientes pelo corpo, bem como a eliminação de resíduos tóxicos.

corpo humano é um gigantesco sistema onde entram e saem diversas substâncias. Algumas possuem múltiplas funções, como a água. Outras não têm função dentro de nosso corpo, mas acabam entrando nele por meio da respiração, da alimentação e da ingestão de algumas bebidas. Além destas substâncias, existem outras substâncias que são formadas a partir de reações químicas ocorridas dentro do organismo que também precisam ser eliminadas do corpo para que não causem problemas de saúde e até o óbito do indivíduo. Todo o processo de filtragem, separação e eliminação de substâncias desnecessárias do organismo é feito pelo sistema excretor.

Desenvolvimento

Circulação

O coração é um músculo envolvido por membranas: (i) a externa, o pericárdio (ii) interna, o endocárdio e (iii) intermediária, entre o pericárdio e o endocárdio, o miocárdio que é responsável pelas contrações involuntárias do coração, sendo essa fase chamada de sístole e a do relaxamento do músculo é denominada diástole.

Esse órgão é uma bomba que mantém uma corrente de sangue venoso para o pulmão e de sangue arterial para todo o corpo e é dividido em 4 cavidades: o átrio direito (AD) e esquerdo (AE) (na parte superior) e ventrículo direito (VD) e esquerdo (VE) (na parte inferior). Os átrios comunicam-se com os ventrículos por meio de válvulas, o AD com VD tem-se a válvula tricúspide e no AE com VE a válvula bicúspide ou mitral.

- Anúncio -

Essas válvulas abrem durante a sístole e fecham durante a diástole, impedindo o retorno do sangue. Do AD chegam as veias cavas superior e inferior e no AE chegam as quatro veias pulmonares.

Morfologia do coração e fluxo sanguíneo. Em azul e em vermelho, o sangue que entra e sai do coração. (Foto: Reprodução/Colégio Qi)

Morfologia do coração e fluxo sanguíneo. Em azul e em vermelho, o sangue que entra e sai do coração. (Foto: Reprodução/Colégio Qi)

Batimentos cardíacos

A contração do coração é involuntária, ou seja, independe do sistema nervoso. As células do miocárdio pulsam, gerando o impulso nervoso que determina o ritmo das contrações, o nó sinoatrial ou marca-passo, que podem ser registrados durante o exame de eletrocardiograma.

Em pessoas normais em repouso variam de 60 a 100 batimentos por minutos. Quando no adulto em repouso ocorrem alterações nesses batimentos, podem causar as arritmias, como a taquicardia, onde o coração bate mais de 100 vezes por minuto e a bradicardia que bate menos de 60 vezes por minuto.

Circulação sistêmica e pulmonar

A circulação sistêmica ou grande circulação é aquela em que o sangue rico em oxigênio sai do VE do coração pela aorta, artéria que se ramifica pelo corpo em artérias menores e mais finas, as arteríolas e os capilares, respectivamente. O sangue oxigenado ou sangue arterial é transportado para todo o corpo, onde ocorrem as trocas gasosas e, esse retorna ao coração rico em gás carbônico (sangue venoso). As veias cava superior e inferior recolhem o sangue venoso, das regiões acima do coração e do resto do corpo, respectivamente, lançando-o diretamente ao AD.

A circulação pulmonar ou pequena circulação consiste em levar o sangue pobre em oxigênio e rico em gás carbônico aos pulmões e devolve o sangue oxigenado para o coração. O sangue rico em gás carbônico vai do AD para o VD e é bombeado para o pulmão através da artéria pulmonar, que se bifurca em artéria pulmonar direita e esquerda que vão para os respectivos pulmões.

Nos capilares, que são finos e permitem as trocas dos gases respiratórios, ocorre a hematose, onde o sangue perde gás carbônico e recebe o oxigênio dos alvéolos, transformando-se em sangue arterial, rico em oxigênio, que retorna ao coração pela veia pulmonar pelo AE, reiniciando o trajeto.

A pressão exercida pelo sangue nas paredes arteriais, a pressão arterial, podem ser aferidas. Em indivíduos em repouso e jovens, a pressão máxima que ocorre durante a sístole equivale a 120mmHg e durante a diástole 80mmHg.

Excreção

Sistema Excretor

Na escola as pessoas aprendem que o sistema excretor é apenas aquele formado pelos rins, pela uretra, pelos ureteres e pela bexiga. E realmente, a maior parte da excreção feita pelo organismo humano e dos outros animais é feita por este sistema. No entanto há outros órgãos que atuam diretamente na excreção de substâncias químicas do organismo. É o caso da pele e das glândulas sudoríparas, que eliminam substâncias desnecessárias por meio do suor e também do sistema respiratório, que elimina o gás carbônico por meio do processo de respiração. Vale lembrar que o gás carbônico é tóxico para os seres humanos e por isso deve ser eliminado.

O sistema urinário

O sistema urinário é o principal sistema excretor do organismo animal. Ele é composto basicamente por quatro itens: bexiga, rins, uretra e ureteres. O processo é basicamente simples se resumido. Veja agora, em tópicos, o processo de filtragem do sangue e da água do organismo pelos rins para a formação de urina e, posteriormente, excreção dos itens desnecessários ao organismo.

• O trabalho dos rins: todo o sangue do organismo passa pelos rins. O corpo humano possui dois rins localizados um de cada lado da coluna vertebral, na altura do abdômen, mas na parte posterior do tronco. Este é o motivo que faz com que as pessoas sintam dores nas costas quando há algo de errado com os rins. Todo o sangue que passa pelos rins é filtrado por unidades muito pequenas chamadas néfrons. Os néfrons existem aos milhares e são responsáveis pela formação da urina. Muitas substâncias ficam “presas” aos néfrons durante o processo de filtragem do sangue. O néfrom contém várias estruturas específicas que têm funções bem distintas. Estas estruturas são responsáveis por analisar tudo que entra no néfrone, caso necessário, devolver algumas substâncias ainda essenciais para organismo ao sangue que volta para o corpo.

• O caminho dos ureteres: os ureteres são dois canais elásticos que saem dos rins transportando a urina criada até a bexiga. O caminho não é longo, mas precisa ser uma via de mão única para que a urina não volte até os rins e comprometa toda a função excretora do organismo. Por dia, os rins podem produzir até 180 litros de urina, mas nem tudo é excretado. Um ser humano com alimentação adequada excreta apenas um litro e meio de urina por dia. Mais a frente você entenderá o que acontece com o resto desta urina toda.

• A função da bexiga: A bexiga é chamada assim porque é muito elástica. Sua capacidade de urina é realmente grande e ela é dotada de algumas estruturas que impedem que a urina seja excretada caso o indivíduo precise segurá-la. É por este motivo que você consegue segurar a vontade de urinar mesmo quando está muito apertado. No entanto, assim como qualquer bexiga de festa, uma hora a nossa bexiga não aguenta mais. O limite da bexiga de cada pessoa pode mudar, mas o controle que temos sobre ele varia de acordo com a capacidade cerebral. É por este motivo que bebês e pessoas idosas não seguram a urina por muito tempo.

• A fronteira final chamada a uretra: a uretra é um canal que tem a simples função de transportar a urina da bexiga até o mundo exterior ao corpo humano. O esfíncter uretral é a estrutura responsável por evitar que as pessoas urinem automaticamente e só façam isso quando o indivíduo “autorizar” o processo.

Doenças relacionadas ao sistema excretor

O sistema urinário/excretor é suscetível a doenças da mesma forma que o resto do corpo. O excesso de sais minerais nos rins pode criar pedras nestes órgãos. Estas pedras provocam dores absurdas e precisam ser retiradas. Algumas podem ser tratadas com medicamentos, mas a maioria deve ser retirada por processos cirúrgicos.

Algumas infecções na bexiga e na uretra também costumam causar muito desconforto nas pessoas que as têm. Medicamentos são suficientes para o tratamento.

Você deve estar se perguntando pra onde vai a urina que não é excretada (aproximadamente 150 litros). Acontece que muito do que vai para a urina ainda é útil para o organismo. O que você elimina através do xixi é aquilo que realmente não seria útil para seu corpo. A maior parte da urina ainda é reabsorvida nos próprios rins e enviada para o corpo para cumprir outras funções.

Conclusão

Através da excreção são eliminadas substâncias tóxicas fabricadas pelo metabolismo celular. Além da urina, essas substâncias podem ser eliminadas também pela pele através do suor, e pelo sistema respiratório, quando é eliminado o gás carbônico. O suor tem a função de resfriar o corpo.

As células de todos os seres vivos precisam receber nutrientes e eliminar os resíduos de seu metabolismo. Nos animais mais complexos e que possuem sistemas especializados no transporte de inúmeras substâncias, há um coração que bombeia o líquido circulante para as células com uma determinada frequência. O líquido circulante pode ser incolor, chamado de hemolinfa, presente nos insetos, ou colorido e neste caso recebe o nome de sangue. A cor é determinada pela existência de pigmentos, como é o caso da hemoglobina presente em muitos invertebrados e em todos os vertebrados, que contêm átomos de ferro responsáveis pela coloração avermelhada do sangue.

Bibliografia

https://pt.wikipedia.org/wiki/Excreção

https://descomplica.com.br/blog/biologia/resumo-circulacao-e-excrecao/

http://www.sobiologia.com.br/conteudos/FisiologiaAnimal/circulacao.php

- Anúncio -