O que é Novembro Azul?

0
50

Novembro Azul é o nome do movimento internacional que busca a conscientização a respeito do câncer de próstata e da saúde masculina. A campanha, mundialmente conhecida como Movember, visa alertar os homens da importância do diagnóstico precoce.

Como surgiu

A campanha teve início em 2003, na Austrália, quando alguns amigos tiveram a ideia de deixar o bigode — que, na época, estava fora de moda — crescer com o objetivo de chamar a atenção para a saúde masculina.

Inicialmente, um grupo de 30 homens aceitou a proposta, e assim surgiu a Movember Foundation, uma organização sem fins lucrativos que busca arrecadar fundos para pesquisar e auxiliar o tratamento do câncer de próstata e outras doenças que acometem os homens frequentemente.

Conforme os anos foram se passando, a campanha foi conquistando cada vez mais adeptos, até se tornar mundial. Hoje, ela é feita em mais de 20 países.

Durante o mês de novembro, os homens são encorajados a deixar o bigode crescer e as mulheres a participar da campanha vestindo a cor azul, escolhida para representar a ação. Por isso o nome “Novembro Azul” no Brasil.

Nome da campanha

Falando em nome, o Movember veio da junção da palavra inglesa moustache (bigode) com novembro (november). Atualmente, há também quem se refira à campanha como No Shave November(Novembro Sem Barbear, em tradução livre).

Vale lembrar, também, que o mês de novembro foi escolhido por conta do Dia Mundial do Combate ao Câncer de Próstata, comemorado em 17 de novembro.

Arrecadação

Desde o início em 2003, foram arrecadados mais de 580 milhões de dólares, usados para financiar mais de 770 projetos e pesquisas na área da saúde masculina.

Novembro Azul no Brasil

No nosso país, a campanha foi trazida em 2008 pelo Instituto Lado a Lado pela Vida, juntamente com a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU). Durante este mês, diversas instituições oferecem exames gratuitos ou com descontos e vários eventos são realizados para espalhar a ideia, contando sempre com os símbolos do Movember: o bigode e a cor azul.

É comum, também, ver prédios e monumentos serem iluminados com a cor azul em novembro, semelhante ao que acontece em outubro com a campanha Outubro Rosa.

Objetivos do Novembro Azul

Além de conscientizar a respeito do diagnóstico precoce do câncer de próstata e outras doenças comuns em homens, o Novembro Azul também veio com a ideia quebrar o preconceito que muitos homens têm em relação ao exame de toque.

O exame, que envolve a palpação da próstata pelo reto (porção final do intestino grosso), é alvo de muitas piadas entre os homens, que costumam fazer uma alusão ao sexo anal. Por conta dos estereótipos da sociedade, muitos pensam que jamais deveriam ter o ânus tocado e muito menos penetrado, mesmo que por um bom motivo.

Assim, as campanhas do Novembro Azul vêm justamente para quebrar esse preconceito e mostrar que elas são necessárias.

Novembro Azul e o Ministério da Saúde

Embora o Movember, ou Novembro Azul, seja bem aceito em diversos países, o Ministério da Saúde tem algumas ressalvas em relação à campanha.

Isso porque, durante esse mês, há muito incentivo para a realização dos exames preventivos do câncer de próstata, nomeadamente o exame de toque e o PSA. Muitos médicos indicam que esses exames sejam feitos pelo menos uma vez por ano para os homens a partir dos 45 anos de idade. Inicialmente, isso é algo bom.

O problema, segundo o Ministério da Saúde, é que toda essa prevenção acarreta em muitos resultados falso-positivos, biópsias desnecessárias, sobrediagnóstico e sobretratamento. Isso quer dizer que, muitas vezes, tumores que não viriam a se desenvolver em uma condição maligna são diagnosticados e tratados como se fossem uma, fazendo o homem sofrer desnecessariamente.

No entanto, as autoridades ainda assim apoiam a ideia de uma iniciativa para conscientizar os homens da necessidade de prestar atenção na sua saúde. Um dos maiores problemas da saúde masculina é que, em comparação às mulheres, os homens são mais resistentes para visitar os médicos.

Além disso, é comum que eles apenas visitem um médico quando estão tendo sintomas. São poucos os homens que realmente realizam os check-ups na saúde anualmente.

Para embasar isso, um estudo da SBU apontou que 51% dos homens nunca consultaram um urologista, o especialista no sistema urinário e reprodutor masculino.

Câncer de próstata

O câncer de próstata é o tipo de câncer mais incidente em homens. A próstata é uma glândula localizada abaixo da bexiga, à frente do reto. Ela produz até 70% do sêmen, sendo indispensável para a fertilidade.

No mundo, este é o sexto tipo de câncer mais frequente, e o segundo mais mortal entre os homens. Estima-se que 1 a cada 6 homens irão sofrer com o problema. A cada 7,6 minutos, um caso é diagnosticado e, a cada 40 minutos, há um óbito por câncer de próstata.

A maioria dos casos ocorre em homens com mais de 65 anos de idade, por isso os exames preventivos devem ser iniciados por volta dos 45 anos, especialmente quando há fatores de risco como pertencer à raça negra e ter histórico familiar de câncer de próstata.

No entanto, uma grande parte dos tumores crescem de maneira tão lenta que levam cerca de 15 anos para atingir 1cm³. Assim, muitos homens não têm nem mesmo sinais da doença durante a vida.

Vale lembrar que, nas fases iniciais, o câncer de próstata não causa sintomas. De fato, 95% dos casos de câncer de próstata já estão em um estágio muito avançado quando seus primeiros sinais aparecem.

Os sintomas incluem:

  • Vontade urgente e repentina de urinar;
  • Dificuldade e dor para urinar;
  • Diminuição do jato da urina;
  • Ter vontade de urinar mais frequentemente;
  • Sensação de que a bexiga não esvaziou completamente ao urinar;
  • Dificuldade para iniciar e parar a passagem da urina;
  • Urina em gotas ou em jatos sucessivos;
  • Necessidade de fazer força para manter o jato da urina;
  • Dores na parte baixa das costas (lombalgia) ou na pélvis (abaixo dos testículos);
  • Disfunção erétil;
  • Dor ao ejacular;
  • Sangue na urina ou no esperma;
  • Fortes dores corporais e ósseas;
  • Dor no testículo;
  • Sangramento pela uretra;
  • Insuficiência renal.

Os sintomas são tão relacionados com a urina porque a uretra passa pela próstata. De fato, a parte da uretra que passa por ali tem até mesmo um nome específico: uretra prostática.

A prevenção da doença é feita com uma dieta balanceada, prática de atividades físicas, controle do peso e diminuição do consumo de álcool e corte do cigarro (tabaco).

Exame de toque

Importante para a detecção precoce do câncer de próstata, o exame de toque retal dura, no máximo, 2 minutos. Trata-se de um exame indolor que não deixa sequelas e não é tão desconfortável quando comparado com alguns exames ginecológicos.

Então, por que tantos homens temem esse exame? Simples: para palpar a próstata, o urologista precisa introduzir seu dedo no reto do paciente, ou seja, penetrar o ânus com o dedo.

O procedimento é feito utilizando luvas descartáveis novas e lubrificante para assegurar que não haja dor ou desconforto durante a inserção do dedo indicador no reto.

Frequentemente, após esse exame, o médico também pede o PSA, um exame de sangue que mede o antígeno prostático específico, substância que está em alta quando há um tumor na próstata.

Quando esses exames preventivos aumentam a suspeita de um câncer de próstata, pode ser solicitado ao paciente a realização de outros exames como biópsia, ultrassom transretal e cintilografia óssea.

Prevenção

Já está comprovado que uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais, e com menos gordura, principalmente as de origem animal, ajuda a diminuir o risco de câncer, como também de outras doenças crônicas não-transmissíveis. Nesse sentido, outros hábitos saudáveis também são recomendados, como fazer, no mínimo, 30 minutos diários de atividade física, manter o peso adequado à altura, diminuir o consumo de álcool e não fumar.

A idade é um fator de risco importante para o câncer de próstata, uma vez que tanto a incidência como a mortalidade aumentam significativamente após os 50 anos.

Pai ou irmão com câncer de próstata antes dos 60 anos pode aumentar o risco de se ter a doença de 3 a 10 vezes comparado à população em geral, podendo refletir tanto fatores genéticos (hereditários) quanto hábitos alimentares ou estilo de vida de risco de algumas famílias.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here