Nele encontramos o plasma sangüíneo, responsável por 66% de seu volume, além das  hemácias, dos leucócitos e das plaquetas, responsáveis por aproximadamente 33% de sua composição.
A maior parte do plasma sangüíneo é composta por água (93%), daí a importância de sempre nos mantermos hidratados ingerindo bastante líquido. Nos 7% restantes encontramos: oxigênio, glicose, proteínas, hormônios, vitaminas, gás carbônico, sais minerais, aminoácidos, lipídios, uréia, etc.
Os glóbulos vermelhos, também conhecidos como hemácias ou eritrócitos, transportam o oxigênio e o gás carbônico por todo o corpo.  Essas células duram aproximadamente 120 dias, após isso, são repostas pela medula óssea.
O glóbulos brancos, também chamados de leucócitos, são responsáveis pela defesa de nosso corpo. Eles protegem nosso organismo contra a invasão de microorganismos indesejados (vírus, bactérias e fungos). De forma bastante simples, podemos dizer que eles são nossos “soldadinhos de defesa”.
As plaquetas são fragmentos de células, presentes no sangue, que realizam a coagulação, evitando assim sua perda excessiva de sangue (hemorragia). Elas geralmente agem quando os vasos sangüíneos sofrem danos. Um exemplo  simples é o caso de uma picada de agulha, onde observa-se uma pequena e ligeira perda de sangue que logo é estancada, isto ocorre graças ao tampão plaquetário.

CÉLULAS DO SANGUE

Formado por duas fases: glóbulos sangüíneos e plasma
A coloração do sangue para estudos microscópicos se baseia na misturade Romanowsky (eosinato de azul e azures- de- metileno). Existem métodos novos para se fazer essa coloração, entre eles os de Leishman, Giemsa e Wright, porém todos baseados na mistura de Romanowsky.
Com essa coloração, as células do sangue poderão exercer quatro comportamentos:
– basofilia, corando-se pelo azul-de-metileno e tornando-se azulada;
– acidofilia, corando-se pela eosina e tornando-se rosa-amareladas;
– azurofilia, corando-se pelos azures e tornando-se púrpura;
– neutrofilia, corando-se por uma mistura complexa e tornando-se salmão.
O sangue é basicamente um meio de transporte, pois carrega os leucócitos para tecidos atingidos por uma infecção, transporta oxigênio e gás carbônico, leva metabólitos dos locais de síntese para o resto do organismo, é o veículo de distribuição dos hormônios e transporta escórias do metabolismo.
Glóbulos Sangüíneos
· Eritrócitos ou hemácias
· Leucócitos -> granulócitos   · neutrófilos
· basófilo
· eosinófilo

-> agranulócitos  · linfócitos
· monócitos

1.Plasma
Solução aquosa formada por proteínas plasmáticas, sais inorgânicos e compostos orgânicos diversos. Entre as proteínas do plasma, podem ser citadas a albumina, as alfa, beta e gamaglobulinas e o fibrinogênio. A albumina é importante para manter a pressão osmótica do sangue. As gamaglobulinas são anticorpos(imunoglobulinas). O fibrinogênio forma a fibrina na etapa final de coagulação do sangue. A maioria dessas proteínas também servem como carreadoras para diversas substâncias, sendo essa a função específica do plasma.

2.Eritrócitos
Glóbulos anucleados e bicôncavos (proporciona uma superfície maior para a troca de gases) com 7,2 mm de diâmetro. Hemácias com diâmetros anormais ocorrem numa situação chamada anisocitose.
Por ser flexível se adapta a vasos sangüíneos irregulares. A concentração desses glóbulos no sangue do homem é de 5,5 milhões/mm³ e na mulher é de 4,5 milhões/mm³.
As anemias se caracterizam pela baixa da hemoglobina sanguínea, podendo ser causada por uma queda no número de hemácias, por uma baixa capacidade de retenção de hemoglobina pelas hemácias (anemia hipocrômica), deficiência de ferro na alimentação ou por uma destruição maciça de hemácias.
São acidófilos nas colorações específicas para o sangue
A hemácia é produzida na medula óssea. O eritroblasto (hemácia inicial), ao passar para a circulação sanguínea perde o núcleo formando um corpúsculo basófilo de vida efêmera (24/48 hs)
chamado reticulócito (apresenta algumas organelas como ribossomos e r.e.r.). Após 24/48 hs, ele amadurece, desaparecem todas as organelas e fica acidófilo passando a chamar-se hemácia.
A função básica do eritrócito é o transporte de oxigênio, utilizando-se, para isso, da hemoglobina.
A molécula de hemoglobina é formada por quatro subunidades, com um grupo heme ligado a um polipeptídeo ( o grupo heme contém um radical de ferro e se cora porcorantes ácidos). Existem três tipos de hemoglobinas:
-A1: 97% da hemoglobina do adulto
-A2: 2% da hemoglobina do adulto
-F: 100% da hemoglobina do feto, é muito ávida por oxigênio e no adulto representa 1%.
A hemoglobina se combina com o oxigênio formando a oxi-hemoglobina e com o gás carbônico formando a carboxi-hemoglobina (rara porque o gás carbônico normalmente está dissolvido no plasma).
Alterações genéticas podem criar a hemoglobina S, que dá ao eritrócito uma aparência de foice, fazendo com que ele perca as suas características normais. Essa patologia é chamada anemia falciforme.
A carbo-hemoglobina é a união da hemoglobina com o monóxido de carbono, que impede a ligação com o oxigênio e prejudica a oxigenação dos tecidos.
A duração média de uma hemácia é de 120 dias, visto que sua carga enzimática é degradada lentamente e não existe núcleo para renová-la.

3.Leucócitos
Células esféricas, porém passíveis de assumir aspectos amebiformes, quando fixadas em um substrato. São especializadas na defesa do organismo, atravessando vasos por diapedese e sendo normalmente encontradas no tecido conjuntivo. Em tecidos invadidos por microorganismos, os leucócitos são atraídos por agentes químicos.
O número de leucócitos por mm³ de sangue no adulto varia entre 5000 e 10000. O aumento de leucócitos no sangue chama-se leucocitose e a diminuição, leucopenia.

3.1 Neutrófilos
Leucócitos granulócitos com núcleo formado por lóbulos ligados entre si.
-neutrófilo segmentado 55 a 65%. Constituem a 1ºlinha de defesa celular do organismo, sendo fagócitos ativos de partículas pequenas. Possuem granulações: azurófilas (maiores e 1º a serem produzidas, são lisossomas); específicas (mais freqüentes com núcleo segmentado unido por pequenas partes de cromatina).
-neutrófilo bastonete 1 a 2%. É o neutrófilo segmentado jovem. Sem lóbulos.
-neutrófilo metamielócito 0%. Presente na medula óssea. Se existir no sangue é sinal de leucemia.

3.2 Eosinófilos
Representam cerca de 1 a 4% do total de leucócitos.
O núcleo é bilobulado e apresenta granulações acidófilas . No interior do grânulo encontra-se um cristalóide constituído por arginina, responsável pela acidofilia do grânulo. Os grânulos específicos dos eosinófilos são lisossomas e ocupam quase todo citoplasma.
As funções principais são: fagocitar complexos antígeno-anticorpo e limitar e circunscrever o processo inflamatório. São atraídos por quimiotaxia a focos inflamatórios, porém sua capacidade fagocitária é pequena.
Pacientes com doenças alérgicas apresentam um número elevado de eosinófilos, que destroem dois dos mediadores químicos da alergia, a SRS-A e a histamina. Em parasitoses também se observa uma eosinofilia elevada.
3.3 Basófilos
Representam 0,5 a 1% do total de leucócitos
Apresentam um núcleo volumoso e não nítido (impreciso), com forma retorcida e irregular. Os grânulos citoplasmáticos são os maiores entre os granulócitos, aparecendo em roxo no método de Romanowsky. Esses grânulos contém SRS, heparina e histamina. A membrana plasmática possuireceptores para IgE (predileção pela Ig-E), que estimulam a liberação dos grânulos no meio extracelular. Possuem relação com os mastócitos, pois contém heparina e histamina.
Sua função também está relacionada ao processo alérgico.

3.4 Linfócitos
Apresenta núcleo esférico. Nucléolo não visível ao MO, sendo identificado com colorações especiais. O citoplasma é muito escasso, corando-se em azul-claro pelo método de Romanowsky. Esse citoplasma é pobre em organelas, contendo poucos grânulos azurófilos.
Embora morfologicamente semelhantes, existem diversos tipos de linfócitos identificáveis por  métodos especiais.
A célula precursora do linfócito, originada na medula óssea, pode amadurecer em dois órgãos específicos: na Bolsa de Fabricius, em aves, originando o linfócito B, ou no timo, originando o linfócito T.
Os linfócitos B são capazes de se transformar em plasmócitos, entrando então na defesa humoral do organismo. Como apresentam imunoglobulinas aderidas à sua superfície, podem produzir anticorpos quando estimulados por antígenos.
Os linfócitos T são responsáveis pela imunidade celular, produzindo substâncias que atuam sobre organismos invasores. Estes linfócitos também cooperam com os plasmócitos na imunidade humoral. Os linfócitos T podem ser classificados como: citotóxicos, helper e supressor.
Tanto os linfóciots B quanto os T apresentam-se como células de memória, prevenindo o organismo de uma segunda infecção por um mesmo antígeno.

3.5 Monócitos
As células jovens apresentam núcleo ovóide, sendo que esse assume uma formade rim ou de ferradura conforme amadurece. Esse núcleo é pouco corado e apresenta mais de um nucléolo.
Apresenta grânulos muito pequenos azurófilos (lisossomas) e citoplasma basófilo. O aparelho de Golgi é desenvolvido, possui muitos ribossomos e Re pouco desenvolvido.
O monócito é apenas uma fase de maturação da célula mononuclear fagocitária, originada na medula óssea. Por diapedese, saem do sangue e se estabelecem no tecido conjuntivo, transformando-se em macrófagos. Os monócitos fazem parte do sistema mononuclear fagocitário.

4.Plaquetas
São corpúsculos anucleados derivados de pedaços do citoplasma dos megacariócitos.Apresenta vida média de 9 dias, sendo que sua taxa normal está entre 140000 e 440000 por mm³ de sangue.
Apresentam na periferia uma área transparente (hialômero), que contém grânulos (os cromômeros); e uma parte central chamada granulômero. O hialômero contém um feixe de microtúbulos que respondem pela manutenção da forma ovóide das plaquetas. Também apresentam grânulos azurófilos que podem ser lisossomas ou podem conter serotonina.
São responsáveis pela coagulação sanguínea.
Quando um vaso sangüíneo sofre lesão em sua parede, inicia-se um processo denominado hemostasia que visa impedir a perda de sangue. Esse fenômeno envolve a musculatura lisa do vaso lesado, as plaquetas e diversos fatores do plasma, e pode ser resumido da maneira que se segue:
1. agregação primária
2. agregação secundária
3. coagulação do sangue
4. retração do coágulo
5. remoção do coágulo