- Anúncio -
 

 

http://www.hnetsistemas.com.br/catalogo/foto_noticias/thumb_det.php?foto=3818d1eff6ca35c1b0122e6becc5d07b.jpg

O Brasil homenageia um dos maiores nomes da nossa HistóriaJoaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes nesse 21 de abril. Tiradentes foi um importante membro da Inconfidência Mineira, foi enforcado e esquartejado exatamente nessa data, no ano de 1792 por lutar pela nossa independência em relação a Portugal.
No século XVIII acontecia uma escassez do ouro e muitos mineiros cessaram o pagamento do quinto (uma espécie de imposto cobrado pela coroa sobre todo o ouro encontrado na colônia) e reagindo a esta situação, os portugueses passaram a exercer um controle mais rígido sobre as riquezas e a aumentar os impostos.
Em resposta ao aumento de imposto foi formado um grupo de revoltosos influenciados pelas ideias iluministas importadas da Europa. Esta revolta ficou conhecida como Inconfidência Mineira, que tinha como propósito, a independência de Minas Gerais. A maioria dos inconfidentes eram homens ricos e cultos, com exceção de Tiradentes, um militar. Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes era um dos líderes desta revolta, ele era um alferes (cargo militar semelhante ao de tenente) e que tinha esse apelido por exercer também o ofício de dentista.
Esse simples militar era um dos mais envolvidos no movimento, aquele que saia nas ruas procurando conquistar a adesão. Viriato Correia (1884- 1967) que é um famoso jornalista, contista, romancista, teatrólogo e autor de crônicas históricas e livros infanto-juvenis diz algo interessante a respeito de Tiradentes: “Nenhum dos inconfidentes deu um passo. Só Tiradentes agiu, só. Tiradentes teve o desvairado sonho de separar o Brasil da Coroa. E o admirável é que não acusou ninguém.”
Esse grande envolvimento e sua classe social considerada inferior, acabaram resultando em sua pena. Quando o governador descobriu a revolta dos mineradores  foi ordenado que os líderes desse movimento fossem presos. Todos os que tinham posses conseguiam escapar da pena máxima, trocando-a pela prisão ou pelo exílio, o pobre Tiradentes não teve essa opção. Foram três anos presos aguardando seu julgamento até que foi condenado a morte e ao esquartejamento. O objetivo do esquartejamento era para que partes de seu corpo ficassem expostas ao público, de modo a desencorajar outras tentativas de rebelião. As partes de seu corpo foram distribuídas pelas cidades onde pregava a independência e seus discursos de revolução: Queluz, Inconfidência (antiga Santana de Cebolas), Barbacena e Varginha do Lourenço. A cabeça de Tiradentes foi colocada exposta em um poste no centro de Vila Rica. A casa em que morava foi totalmente destruída e no terreno, jogou-se sal para que nunca mais nada germinasse.
Muitos anos após a morte de Tiradentes, mais precisamente em 1890, ele foi reconhecido por todos pela sua bravura, sendo considerado um grande herói do início da história da Independência do Brasil, dessa forma foi decretado como feriado nacional o dia 21 de abril como o dia de Tiradentes.

- Anúncio -